Fuga do estado depressivo

RELATO DO CASO:

"Estou constantemente triste, sem ânimo para nada, acreditando que minha vida não tem nenhum valor nem para mim mesmo nem para a minha família e menos ainda para a sociedade. Sinto-me totalmente desprezível! Não vejo objetivos em nada que faço. Nem sei se tenho algum objetivo de vida. Por causa disso tenho tido pensamentos negativos todo o tempo. Já pensei em abandonar tudo e abandonar até a própria vida. Tenho até medo do que posso vir a fazer por causa desse sentimento tão negativo. Não consigo nem dizer o que se passa comigo para ninguém. Não tenho sequer em quem confiar. Me ajude, por favor!"

Tal relato é uma síntese de diversos relatos que tenho recebido. A impressão que me dá é que está havendo uma certa contaminação de estados depressivos, como se a gripe A estivesse tomando uma forma psíquica. Peço a todos os que me escreveram que analisem minha resposta com cuidado e atenção. Cada passo é importante para recuperar a auto-estima e possibilitar o alcance do estado de felicidade.

RESPOSTA:

1. Análise do fato:

Pensamentos negativos recorrentes são considerados neuroses, assim como toda insatisfação, ansiedade e angústia sentida de forma repetitiva. O pensamento negativo, ao aumentar, dá espaço para a criação de estado depressivo perigoso podendo, logicamente, levar à depressão, o que já passa a ser uma doença psiquiátrica.

Existe sempre uma causa para os pensamentos negativos e normalmente essa causa nada tem a ver com as idéias que passam pela cabeça nos momentos de angústia e tristeza. Essas idéia e fatos são as "desculpas" que nossa mente encontra para justificar nosso estado.

2. Formas de tratamento:

Para eliminar a causa da neurose existe a terapia psicanalítica. Ela consiste em deixar a pessoa falar à vontade sobre si mesma, o que deve ser feito sem nenhuma restrição e nenhum bloqueio. Quando a pessoa consegue ficar falando o que vem à cabeça, durante as sessões de análise, sem medo de ser mal entendida, já que quem está ouvindo é um profissional que não deve ser de sua intimidade, a mente vai liberando tudo o que estava anteriormente preso, causando desconforto psíquico e construindo neuroses.

Psicanálise, entretanto, embora seja a única forma de cura definitiva da neurose, não é um terapia rápida nem barata. Além de estender-se por anos a fio, a depender do profissional ela é bastante cara e não está incluida em planos de saúde, já que essa profissão não é aceita oficialmente pelo nosso sistema.

O tratamento por meio de terapias psicológicas (psicoterapias) é mais rápido, os custos são mais amenos, além de estarem incluidos em planos de saúde. A dificuldade é que essas terapias não curam a neurose. Elas apenas ajudam o paciente a conviver com elas em harmonia, criando compensações emocionais e psíquicas que disfarçam a tristeza e a ansiedade. O paciente passa a viver harmonicamente e acomodado, mas não alcança o estado ideal de felicidade, passando a confundir alegrias com felicidade. Mas escapa do estado depressivo e pode passar a ter mais momentos de alegria do que de tristeza.

3. Enfocando especificamente o CASO RELATADO:

Vamos agora exatamente para o seu caso. Deixo claro que aqui estarão duas opções de atitudes técnicas a tomar. A primeira é a mais acertada. A segunda é a opção mais fácil de encontrar. Mas em seguida estão duas atitudes que devem ser tomadas obrigatoriamente por você desde agora. Não são opcionais. São necessidades diarias importantes e devem ser respeitadas como essenciais para o seu bem estar e a sua plena recuperação, independente da atitude anterior escolhida.

Primeira opção: TERAPIA PSICANALÍTICA

Procurar fazer uma terapia psicanalítica. Essa terapia a levará ao autoconhecimento verdadeiro, sem interferências externas. Todas as demais terapias são interferentes, exceto a analítica. Esse autoconhecimento vai levá-la a encontrar, por si mesma, as causas do desconforto psíquico causador das neuroses. Essa descoberto elimina a razão dessas neuroses e, consequentemente, acabam os motivos das ansiedades, angústias, tristezas e estados depressivos. O estado pleno de felicidade em sua vida passa a ser uma possibilidade real. Os motivos de insatisfações e tristezas passam a gerar apenas estados temporários de tristezas dentro de um clima de felicidade natural.

Segunda opção: PSICOTERAPIA

Procurar um tratamento psicoterápico com profissional da área de psicologia, preferencialmente algum que também esteja ligado a terapias holísticas. O terapeuta holístico sem formação psicológica pode estar atuando sem conhecimento de alguns detalhes importantes da mente humana, podendo até prejudicar o paciente. Por sua vez o psicólogo sem conhecimento de terapias holísticas pode estar deixando de lado estratégias de tratamento que facilitam em muito a eficácia do tratamento. Por isso o ideal nessa segunda opção é um profissional que reúna ambos conhecimentos.

Primeira atitude essencial: PRONTO SOCORRO DA TRISTEZA

Realizar todos os dias, preferencialmente ao acordar, as massagens faciais (caretas, etc.) que costumo ensinar em todas as minhas palestras. Essas massagens provocam a geração do neurotransmissor serotonina e aliviam qualquer estado depressivo, aumentando a potencialidade da alegria e do estado de felicidade.

Segunda atitude essencial: MERGULHO ORACIONAL OU MEDITATIVO

Esse mergulho oracional ou meditativo vai depender de sua crença ou não crença. Não faz a menor diferença se você é ateu ou crente em alguma coisa. Para cada realidade de crença existe uma variante dessa atitude. O importante é que ela é essencial para a felicidade. Ela reforça as bases psíquicas da mente humana de uma forma bastante segura e confiante.

Mas essa opção deve ser muito bem pensada porque não adianta querer seguir uma determinada linha religiosa ou meditativa apenas como opção de tratamento, sem que a pessoa esteja realmente consciente de que aquilo é verdadeiro, ou seja, se não houver verdadeira fé no que se irá fazer.

Nessa opção basta reservar momentos de dedicação exclusiva a tais mergulhos oracionais ou meditativos, estando confiante que estão sendo geradaas ondas de pensamento positivo que irão, certamente, interferir internamente e externamente, transformando sua realidade para uma realidade ideal de paz, conforto, sucesso, prosperidade e aumento de auto-estima.

Tudo o que eu disse acima já está publicado no livro que lancei na Bienal do Livro do Rio de Janeiro e que estará sendo lançado nesse final de ano em Salvador:

Andersen, Roberto. Afetividade na Educação: Psicopedagogia. São Paulo: All Print Editora, 2009.

Anúncios

40 Comentários

  1. joanice said,

    12 de outubro de 2009 às 22:15

    oi professor!!! como já venho relatodo em outras ocasioes,acredito que a fé é o caminho para todos os nossos desvios de pensamento e concordo com a sua colocaçao quendo diz;que é preciso acreditar,ter fé,e disponibilidade para exercer sua fé,para que o milagre venha acontecer,digo isso por experiencia propria,pois vivi uma fase da minha vida onde mim achava despercebida por todos mim achava a pior das cratura,quando tive a oportunidade de visitar uma igreja evangelica e lá eu mim encontrei graças a Deus,hoje tenho o prazer de contactar com pessoas que vivem uma parte do que eu já passei.eu acredito na terapia da fé.

    • robertoandersen said,

      12 de outubro de 2009 às 22:32

      É por aí mesmo, Joanice! Minha preocupação é mostrar a cada um que sempre existe um caminho para se encontrar a estrada da felicidade, independente de nossas crenças. O importante é cada um ser honesto consigo mesmo e com suas convicções, dedicando-se com afinco à sua forma de se religar à ORIGEM.

  2. MONICA said,

    13 de outubro de 2009 às 20:16

    INTERESSANTE SUAS REFLEXÕES, ATÉ MESMO PARA DISMISTIFICAR, A IDÉIA QUE MUITAS PESSOAS POSSUEM, QUE APENAS OS LOUCOU DEVEM BUSCAR AJUDAR JUNTO A OM PSICÓLOGO OU PSICANALISTA.

    • robertoandersen said,

      23 de outubro de 2009 às 18:43

      Exatamente, Mônica! Afinal, quem são os normais? Todos nós precisamos de alguma ajuda para o entendimento interior e a melhoria no entendimento dos outros. As terapias nos ajudam nisso tudo.

  3. MONICA said,

    13 de outubro de 2009 às 20:18

    A FÉ É ESSENCIAL NO PROCESSO DE AUTOCONHECIMENTO. AGUARDO SEU LANÇAMENTO AQUI EM SSA.

    ABRAÇO

  4. Anastacia said,

    18 de outubro de 2009 às 01:42

    Oi professor!!!As pessoas precisam ter convicção que Deus nos criou para ser livre, alegre e saudável. Por isso devemos preencher o nosso coração com o amor e, deixar toda ansiedade de lado. Muitas pessoas estão ficando depressivas, por causa de coisas materiais.
    Um forte abraço!!!

    • robertoandersen said,

      18 de outubro de 2009 às 10:49

      Exatamente isso! O materialismo inverte os verdadeiros valores humanos, fazendo com que as pessoas percam a referência da felicidade atrelando-a à necessidade do consumo.
      Daí em diante nada mais poderá satisfazer essa pessoa, já que o consumo é, por si só, insaciável. As satisfações são sempre temporárias e a ansiedade cresce de forma interminável…

  5. Icaro said,

    21 de outubro de 2009 às 20:10

    TEXTO MUITO BOM E MUITO INTERESSANTE. SÓ FIQUEI EM DUVIDA DE UMA PARTE. ESSA: -Essas idéias e fatos são as “desculpas” que nossa mente encontra para justificar nosso estado. NÃO ENTENDI!

  6. danilo said,

    22 de outubro de 2009 às 00:15

    Muito interessante essa abordagem ! já pensei muito a respeito do meu eu.pois para onde nosso espirto vai quando estamos dormindo,sera que estamos em varios corpos ao mesmo tempo que o movimento é feito pelo nosso cosmo.o que será que aconteçe realmente.porque nos prendemos a coisa materialista,do que na verdade necessitando é o amor..

  7. Yan said,

    8 de novembro de 2009 às 21:28

    Ninguém sabe o que um deprimido sente, só ele mesmo e talvez quem tenha passado por isso. Nem o psiquiatra sabe: ele reconhece os sintomas e sabe tratar, mas isso não faz com que ele conheça os sentimentos e o sofrimento do seu paciente.

  8. Rita Araujo said,

    23 de fevereiro de 2010 às 20:51

    Meu marido era um homem disposto ,trabalhador ,hoje ele só quer viver em casa e deitado. Não consigo fazer ele reagir , já esta fazendo tratamento a um ano . Tudo começou por que ele descobril que esta com mal de parcksom, ele tem 58 anos, nem com a perca de nossos 03 filhos ele não ficou assim ao contrario foi meu suporte, ponto firme. Eu me preocupo porque passo o dia no trabalho e ele fica em casa pois esta de licença . Me ajude a ajudar o meu amor pois não vou suportar perder a unica pessoa que me ama já é demais viver sem meus filhos.
    abrço Rita Araújo.
    23.02.2010

    • robertoandersen said,

      23 de fevereiro de 2010 às 21:45

      Rita,

      O mal de seu marido, antes de ser Mal de Parkinson, é Mal de Baixa Auto-Estima! O trabalho que deve ser feito agora, urgentemente, é o de elevação da auto-estima, iniciando com a massagem facial todos os dias pela manhã e a qualquer momento em que houver disponibilidade de alguém estar com ele. Essa massagem, que pode ser feita pela própria pessoa com caretas e apertando e puxando a pele facial, orelhas etc, é uma das melhores formas de estimulação dos neurotransmissores responsáveis pela elevação da auto-estima, trazendo uma sensação de alívio e satisfação pessoal.
      Todo cuidado deve ser tomado por você e pelos familiares para não considerá-lo doente. Isso só serve para acomodar a pessoa ao seu sofrimento antecipado. Ele deve ser tratado de igual para igual, sem qualquer demonstração de “pena”.
      Outra coisa muito importante é fazer com que ele se sinta necessário e produtivo todo o tempo. A sensação de impotência perante a vida é o que mais destrói a capacidade do indivíduo em superar seus males físicos.
      Faça essa parte e entre em contato para acompanharmos os resultados.

  9. Maria da Penha Rocha said,

    4 de abril de 2010 às 21:33

    Rita,

    O Dr. Roberto está correto em suas colocações e jugestões estimulantes. Estimular essa área quebra os bloqueios energéticos existentes, efetuado aqui pela ação dos neuro transmissores.

    Como terapeuta holística, que também sou, gostaria de sugerir que você, querida, observe em sua postagem, a última fraze e procure mudar seu pensamento. A primeira pessoa que deve lhe AMAR é você mesma, amada!

    Se ame, se encha de amor e procure envolver seu amado ou aquele que lhe ama, com uma luz cor de rosa; verá que esse exercício aliado ao que o Dr. roberto sugeriu fará o milagre da recuperação!

    E acredite a FORÇA DO AMOR DE DEUS NUNCA FALHA!

  10. vanya said,

    30 de outubro de 2010 às 23:03

    Admiro todos aqueles que superam suas crises depressivas. É a pior sensação que sentimos na vida. Hoje é tão comum sofrer de depressão, principalmente quando não superamos nossas perdas. No entanto alguns casos de pessoas que tem um sentimento de vazio misturado com tristeza e que insiste em não querer passar, pode ser chamado de transtorno bipolar?

    • robertoandersen said,

      31 de outubro de 2010 às 05:38

      Ainda não, prezada Vanya. Esses sintomas aproximam muito de uma simples falta de perspectiva de vida, falta de objetivos definidos e falta de valorização da sua própria condição atual de vida.
      Isso constitui, atualmente, uma neurose, que deve, entretanto, ser tratada.
      A continuidade desse processo sem o devido tratamento pode aumentar o nível de tristeza ao ponto de constituir um estado depressivo.
      No transtorno bipolar há a alternância desses estados com os estados de euforia exagerada.
      O importante mesmo é sair dessa!
      E para isso basta iniciar imediatamente uma avaliação dos valores existentes na sua própria vida, reconhecer tudo o que se tem de bom e o que se fez de positivo, sem levar em consideração erros passados, problemas passados, nem sequer possibilidades de erros ou problemas futuros.
      O passado já passou. O futuro ainda não chegou. O tempo presente é o que deve ser muito bem aproveitado, dando-se valor a cada minuto, sem desperdiçar nenhum momento e transformando em prazer tudo oq eu é feito, das refeições ao momento de leitura. das atividades de trabalho às atividades de lazer, do sorvete que se toma à simples conversa informal com o sorveteiro.
      É o famoso “CARPE DIEM” tanto lembrado por todos os que já assistiram ao filme “Sociedade dos Poetas Mortos”.
      Um grande abraço.

  11. Fulano de Tal said,

    27 de abril de 2011 às 20:53

    Primeira vez que acesso este blog, venho muito enteressado em uma fuga do estado deprecivo. Não sei se alguem aqui me ouve, mas gostaria de divdir o que sinto aqui dentro de mim.
    Não conssigo achar respostas para minhas perguntas, não sei o que estou fasendo nesse mundo, nem se quer conssigo achar um lugar onde me sinta bem, Sou homossexual, mas não assumido, tento levar minha vida o mais discreto possivel, mas não acredito que possa ser feliz assim como eu sou, Não sei porque Deus me fez assim, mas não conssigo mudar isso …
    Tive um relacionamento e separamos a poko tempo o que vem me torturando mais ainda, queria ser feliz, ter alguem do meu lado viver sem ter medo de ser julgado ou apontado ..
    Tenho inveja no bom sentido, de pessoas felizes, não conssigo sorrir, não tenho objetivos nem planos, estou vivendo só por viver, deixando o tempo passar e com ele levar a minha vida e minha juventude junto ..
    Tenho apenas 19 anos, mas já me sinto esgotado, sem esperanças, não saio de casa, passo todas as noites trancado em meu quarto, ou na tv ou na internet, não vejo graça em nada, até mesmo quando saio, quando pensso que estou “feliz” tem alguma coiza preza em mim que não me deixa em paz ..
    Queria ter paixão pela vida, prazer em viver, mas não encontro forças nem motivos para estar aquii.
    Agradeço a Deus por ter saude, por estar vivo, mas preferiria nem ter nascido!

    • robertoandersen said,

      27 de abril de 2011 às 23:40

      Tiago,

      Em relação ao seu desabafo lhe digo, logo de cara, o seguinte: Nesse BLOG você não só é ouvido, como também pode ser orientado. Peço que você leia, no mesmo BLOG, os dois artigos sobre a sexualidade humana, parte 1 (https://robertoandersen.wordpress.com/2011/03/02/) e parte 2 (https://robertoandersen.wordpress.com/2011/03/05/), que fazem parte de meu próximo livro sobre o assunto, principalmente porque o seu maior problema está relacionado exatamente a orientação sexual.

      Comece mudando um pouco a sua frase: “Sou homossexual.” Por que digo isso? Porque ninguém tem necessidade nenhuma de sair por aí assumindo uma orientação que não diz respeito a mais ninguém, a não ser você mesmo em sua intimidade.

      Cada pessoa tem, desde os primeiros meses após a fecundação, a sua definição sexual e a sua orientação sexual definidas, independente de vontade própria. Opção é outra coisa. Falarei depois. Portanto, desde antes de você nascer que seus elementos sensores (visão, audição, olfato etc) foram programados para estarem ativados (sentir atração) por homem, por mulher, ou pelos dois, mas ainda não é tão simples assim.

      Essa orientação sexual determina aquilo que, no outro, dispara essa atração, o que pode, inclusive, independer do gênero, ou seja, você pode sentir atração por uma característica da pessoa, independente dessa pessoa ser um homem ou uma mulher. Isso é imutável, ou seja, independe de sua vontade.

      Agora vamos a opção sexual. Você sabe o que lhe atrai, mas não deve se culpar por isso. Isso é natural. Apenas, a partir do momento em que você vive numa sociedade, cabe a você utilizar a sua inteligência para ser feliz, que é a coisa mais importante do mundo. Sabemos que há dois fatores básicos para preencher os objetivos reais de um ser humano e lhe permitir a felicidade real e permanente, que são: o amor e o conhecimento. A partir do momento em que você sente que se ama e que pode, portanto, ser amado, você preencheu a primeira parte.

      Quando você consegue dedicar outra parte de seu tempo para estar sempre adquirindo conhecimento e aumentando sempre a sua curiosidade, para estimular a busca intelectual permanente, você completa a outra parte.

      Essa segunda parte, conhecimento, não acho que seja o problema. A primeira parte, o amor, sim, pode ser o entrave na sua vida, principalmente porque você tem dificuldades em entender as suas verdadeiras necessidades nesse campo.

      Pense, inicialmente, que a atração que você sente não foi escolha nem opção sua. Foi uma determinação biológica ocorrida durante a gestação de sua mãe. Você apenas terá que se compreender melhor e verificar se a atração é por homem ou por algumas caraterísticas em alguns homens, características essas que podem existir, talvez, em algumas meninas ou mulheres.

      E analise sempre, tecnicamente, toda vez que sentir essa atração, para tentar encontrar os motivos, os detalhes, as características que lhe atraem. Essa análise reduzirá em muito a ansiedade da procura ou a ansiedade da necessidade de ter alguém homossexualmente falando.

      Tenho que ter cuidado com minhas palavras porque pode parecer que estou dizendo que ser gay é um erro! Não é isso! Ser gay é uma determinação biológica, mas você nem sabe direito se é mesmo ou se a atração pode ser por ambos.

      O importante, então, é procurar se conhecer bem, analisar suas atrações e, a partir das conclusões, analisar como você deve proceder no caso de sentir atração por alguém e não querer demonstrar essa atração. Isso se chama “opção sexual”. Você sabe que a atração existe, mas resolve criar um pensamento de admiração pela pessoa, de tal forma que substitua a necessidade de desejá-la sexualmente. Isso se chama “sublimar” a atração por um sentimento sublime de admiração.

      E além disso deve estar atento ao aparecimento de uma pessoa que sinta a mesma coisa que você e que poderá, agora sim, ser um parceiro para a satisfação do desejo sexual ou afetivo mais forte.

      Há perigos nisso tudo. Um dos perigos é ser levado pela onda de que “deve sair do armário”, assumindo para os outros aquilo que é particular seu e, por influência dessa ideias, começar a manter relacionamentos insatisfatórios e de oportunidade, somente para tentar satisfazer uma necessidade que é muito mais afetiva do que sexual.

      Saia dessa! Analise-se! Compreenda-se! Transforme as atrações passageiras ou por pessoas que não são totalmente íntimas suas, em admiração, ou seja: sublime a atração.

      Mas esteja atento ao aparecimento de um par ideal, que será o que lhe dará afetividade, independente da sexualidade. A sexualidade deve vir apenas como prêmio por um excelente relacionamento afetivo que você conseguiu manter. E isso vale para qualquer gênero!

      Estou à sua disposição para tentar esclarecer alguma dúvida ou até para apenas ouvi-lo, ou melhor, Ler suas palavras.

      Um grande abraço e muitas felicidades,

      Roberto Andersen

    • Bruno said,

      27 de setembro de 2012 às 23:47

      Estou passando pela mesma coisa que vc. Tambem sou homossexual, e nao consigo aceitar isso. Me mudei pra bem longe da minha familia porque sempre tive medo de eles descobrirem e me rejeitarem. Não tenho amigos porque tenho medo de me aproximar muito de alguem e a pessoa descobrir. Sempre foi assim desde a adolescencia. Vivo em um inferno. E as coisas pioraram tanto que eu fico pensando que se morresse tudo ficaria melhor. Eu vou me formar no meio do ano que vem, mas nem sei pra que. Estou indo na faculdade por ir, nao tenho mais nenhuma expectativa de nada na vida. Nada tem graça. Eu estou com 22, mas parece que vejo a minha vida toda como se ja tivesse vivido, parece que sei o quão mediocre ela vai ser. Fui contratado no meu estagio mas estou a ponto de ser demitido. Eu nao tenho animo mais pra nada. Só tenho vontade de sumir ou ficar deitado, trancado no quarto. E nao tenho nenhum amigo, nem familia e ninguem pra desabafar. Eu me sinto como se ficasse gritando em uma sala com toda força e nem ligasse pra mim, ninguem se quer notasse. Eu nao sei mais o que fazer. Se eu nao descobrir uma alegria na vida logo, nao vou conseguir continuar. Antes eu tinha essas crises mas eram leves. Agora saiu de controle. Se alguem ja passou por isso e pudesse me ajudar. Eu nao conigo me relacionar com ninguem, parece que ninguem liga pra nim, e que eu sou invisivel, me sinto rejeitado. Que Deus tenha piedade de mm e me tire desse inferno, porque eu nao vou aguentar.

  12. Patricia Araujo said,

    3 de junho de 2011 às 12:20

    bom….lendo os comentarios desse blo acbei de crer que tenho depressao. Eh interessante chegar a cada 15 dias com a terapeuta e tentar encontrar nos meu 60 minutos um remedio que aliviasse meu mal estar pela vida…tnho que admitir tenho humor triste….nao tenho necessidade de fazer parte desse mundo que eh tao lindo apesa das dificuldades que nele existem. nao tenho coragem de tirar minha vida mas gostaria muito de sair desse mundo e poder descansar….sinto um profundo cansaço….e olha que souo musicista e ensino meus alunos a fzer caretas faciais e tambem busco a deus …..sei que existe solucao mas nao consigo acha-la , sei que eh um jogo que minha mente mente faz comigo mas nao consigo tomar as redeas de minha mente….e…o tempo vai passando……e vou vivendo sem qualidade de vida…isso eh triste!!! obrigada por me escutar….

    • robertoandersen said,

      3 de junho de 2011 às 19:08

      Embora seja muito fácil dizer para as pessoas como sair de um estado depressivo, sei que é difícil para a pessoa se convencer de que isso é possível!
      Somos seres sociais, logo, não conseguimos ficar felizes se não estivermos satisfeitos com o outro que está à nossa volta.
      Nossas maiores necessidades estão relacionadas a uma relação afetiva ideal com as pessoas que gostamos.
      Por isso mesmo necessitamos estar gostando de pessoas e que essas pessoas estejam gostando de nós e, preferencialmente, estejam conosco.
      Há, teoricamente, a possibilidade da sublimação direcionada a um propósito de vida pessoal e profissional, que preencha nossa mente e nossa psiquê com satisfações por estar contribuindo para um mundo melhor, para uma comunidade melhor, etc. Mas essa teoria nem sempre pode ser completamente transportada para a prática, embora todo esforço seja válido.
      Há também que se analisar se o estado depressivo não está sendo ampliado com uma situação de estresse progressivo.
      A organização do nosso dia-a-dia muitas vezes não permite a inclusão de momentos de ócio e de relax, havendo um crescente estado de estresse que pode explodir a qualquer momento.
      Esses momentos podem ser de puro relaxamento, pura oração, ou puros passeios por um shopping, por uma praia, por um parque, onde o contato com o mundo e a apreciação dele, serve para trazer algum alívio ao estresse que podemos nem estar percebendo dentro de nós.
      Tudo é válido quando se deseja sair de um estado depressivo, mesmo que esse estado esteja justificado com motivos externos ou internos.
      Como eu disse antes, temos sempre motivos suficientes para estarmos bem ou mal. Usamos esses motivos a depender de nosso estado de espírito do momento.

  13. Bruna Alves said,

    5 de agosto de 2011 às 19:15

    bom,nao gostaria de dizer meu nome mas sou uma garota e tenho 14 anos i keria mto a sua opiniao porque sinto a kda dia que a terra nao tem mais espaço para mim…tenho precisado mtoo de algo onde me refugiar e axo q aki pude encontrar isso….sou mto negativa me axo ridícula apesar de todos falarem o oposto sou uma garota q foka mto em responsabilidades,sou fechada,sou triste,angustiada em todas as circunstancias de minha vida…o senhor poderia me ajudar? obrigada! desde ja o agradeço por ter ouvidos pacientes para me “escutar”!

    • robertoandersen said,

      7 de agosto de 2011 às 12:32

      Eu recebi sua mensagem e estou pronto pata ajudá-la naquilo que estiver ao meu alcance. Esteja certa de que há solução para seu estado de angústia, mas é necessário que você assuma certos compromissos com você mesma, já que tudo começa com o desenvolvimento de uma força de vontade interior.

      Nessa sua idade tudo complica na vida da pessoa, principalmente porque a vida aparece de maneira mais clara, muitas coisas que gostávamos de acreditar passam a ser obrigatoriamente consideradas ilusões ou mentiras, a sociedade nos impõe uma porção de valores falsos para que agente se sinta infeliz e consuma cada vez mais na esperança de conseguir a tal “felicidade” segundo a ótica consumista, as pessoas e a família começam a exigir decisões sobre futuro e profissão, outras perguntam o tempo todo se já encontrou alguém, se está se preparando para vestibular, se vai casar, as amizades passam a ser analisadas com mais rigor e agente percebe que muitas delas não são tão verdadeiras como pareciam antes, etc, etc…

      Se dermos ouvido a tudo o que surge à nossa volta entraremos num estado de angústia cada vez maior e as pessoas, ao invés de nos ajudarem, afastam-se e nos abandonam como se não tivessem contribuído para esse estado psíquico negativo.

      Então vamos ao que interessa!
      O mais importante na sua vida é VOCÊ!
      Muitas pessoas estão dizendo que existe uma mania universal de que temos que ser felizes e que isso é ridículo!
      Eu discordo totalmente dessa afirmação. Temos que ser felizes sim! É nosso direito e sempre será possível encontrar a estrada desse tal ESTADO DE FELICIDADE.
      Apenas temos que ter em mente que ninguém nem nada no mundo é mais importante do que a construção desse estrada, já que só estando caminhando nela é que poderemos ajudar a nós mesmos e aos outros. Só nessa estrada poderemos produzir algo de útil para nós e para as pessoas que amamos e para todas as demais pessoas à nossa volta.

      Mas lembre, primeiro, que a FELICIDADE que precisa existir para eliminar o seu estado de angústia não é um OBJETIVO a ser alcançado, mas sim uma ESTRADA para caminharmos. E é nessa estrada que precisamos estar caminhando todos os dias reconstruindo as partes que foram danificadas pelo tempo, pelas tempestades e pelos elementos destruidores. A cada momento precisamos analisar os desafios que surjam para mensurar a possibilidade de enfrentá-lo ou de contorná-lo. Em seguida tomar a decisão correta sem pestanejar. E mesmo que depois você perceba que a decisão poderia ter sido outra, os erros de percurso são sempre excelentes lições para o próximo trecho a ser caminhado.

      Então a ESTRADA significa que seu objetivo de vida deve ser dinâmico. Construído todos os dias. Criações novas a cada momento. Ponha sua mente para criar visualizações de momentos felizes, de estados de satisfação plena, de alegrias, na certeza de que pensamentos positivos criados pela sua mente correm o risco de acontecerem! Então crie sempre mais e mais e mais e sempre melhor e melhor.

      Abandone a expectativa de conseguir resultados imediatos por qualquer coisa. Dedique-se a alguma coisa produtiva pelo simples prazer de se dedicar a algo produtivo. Por menor que seja o efeito positivo ou produtivo do que você fizer, reconheça a excelência da sua produção. Isso faz com que sua autoestima seja elevada a cada momento e assim sua mente, a partir do seu sistema límbico, vai sozinha trabalhar para que você alcance a estabilidade emocional que você merece.

      Escreva para mim o que você entendeu, o que você sente a cada momento e as dificuldades que tem em entender a sua relação com a vida e com as pessoas, para que eu possa ajudá-la melhor.

      Uma dica para você começar a fazer agora e todos os dias ao acordar:

      Faça todo tipo de careta articulando todos os músculos faciais e ajude essas caretas repuxando com os dedos a sua face, testa, orelha, queixo, etc, ou seja, uma massagem facial bem demorada. Essa massagem envia um sinal para o cérebro provocando a liberação de um neurotransmissor, a serotonina, que é o neurotransmissor responsável pelo nosso estado de satisfação, nossa estabilidade emocional e, em suma, nossa felicidade.

      Aguardo suas mensagens. Escreva sempre. Eu tentarei acompanhar essa caminhada sua para garantir que sua felicidade surja, que sua tristeza desapareça, que você passe a ser super positiva, que a angústia seja coisa do passado, e que você passe a me chamar de VOCÊ, e não de SENHOR, embora eu tenha 64 anos e você 14, mas o tratamento de VOCÊ ajudará a você ter mais liberdade para se expressar como quiser, sem qualquer tipo de constrangimento.

      Não digo o que disse apenas por pura teoria, Tenho seis filhos, muitos sobrinhos e quatro netos e pratico tudo o que digo no acompanhamento da formação de cada um deles, além de fazer o mesmo com centenas de crianças e adolescentes dos colégios que seguem as minhas orientações educacionais.

      Um abraço forte para você.

      Seu amigo,

      Roberto Andersen

  14. Bruna Alves said,

    7 de agosto de 2011 às 14:52

    Boom,entendi que o senhor pode me ajudar sim mas eu tenho um problema mt grande em nao conseguir dizer exatamente o q sinto ás pessoas,eu sinto que preciso ser mais aberta em varias faces da minha vida…isso e prejudicial á mim,eu sei,mas nao está em mim i eu keria pedir a ti q me ajudasse em relaçao a minha estrutura fisica me sintoo mtoo feia eu sei as vezes q nao sou porque mtos falam isso mas nao esta em mim,eu vejo mto defeitoos eu me sinto tao imperfeita apesar de estar na presença do Senhor eu me sinto só por mtas vezes em minha vida…aah eskecee,nem sei dizer mais o q sinto!

    • robertoandersen said,

      7 de agosto de 2011 às 15:09

      Bruna, como você criou esse codinome para não ser identificada, escreva sem medo o que sente para que eu possa analisar e ajudar. Mas se preferir, mande sua mensagem pessoal para o meu e-mail, porque assim poderemos falar mais claramente sobre seu problema sem precisar que os textos sejam publicados. O e-mail é robertoandersen@gmail.com

  15. Bruna Alves said,

    7 de agosto de 2011 às 21:19

    naaao prefiro que conversemos aqui mesmo!!! mas pelo q tem lido do q tenho falado,o q o senhor acha q se passa cmgo?? me de sua opiniao por favor…obrigada!! e meu nome deu certo porq tenho um jeito de fazer com que Dê…beijo!

  16. Bruna Alves said,

    9 de agosto de 2011 às 12:28

    me abandonou tbm senhor???

    • robertoandersen said,

      9 de agosto de 2011 às 16:18

      Não! Jamais eu a abandonaria! Apenas estiva “fora do ar” por uns momentos, devido a uma falha no funcionamento de meu coração (hipertensão momentânea), mas agora tudo volta ao normal.

      Mas vamos a alguns pontos abordados por você:

      Dizer exatamente o que você sente nem sempre é uma atitude que seja bem recebida. As pessoas estão “amarradas” a conceitos que as impedem de aceitar certas verdades, mesmo que essas verdades sejam também suas.

      O ideal é conseguirmos dizer sempre o que pensamos à todos, mas isso é bloqueado por nós mesmos, principalmente devido a necessidade de nossa proteção contra o meu entendimento.

      Temos uma verdade que mostramos (o EGO) e temos uma verdade verdadeira que nem sempre conseguimos mostrar e muitas vezes nem mesmo nós a entendemos.

      Todos os nossos problemas de ansiedade e neuroses poderiam ser eliminados se conseguíssemos viver a nossa realidade verdadeira (nosso SELF). Mas poderíamos estar criando problemas de não aceitação pela sociedade, já que os costumes e a cultura sob a qual vivemos cria padrões que se não forem seguidos, pode significar a nossa exclusão social.

      Veja que em cada momento as pessoas são obrigadas a evitar atitudes que seriam excelentes para a sua satisfação pessoal, mas que não são compatíveis com o grupo em que estamos inseridos.

      Então, para essa parte de seu problema acredito que seja importante analisar os seus amigos. Sempre há alguns com problemas semelhantes, mas que não havíamos identificado ainda. Nessa hora o ideal é juntar-se a eles, não para compartilhar sofrimentos, mas para trocar experiências e poder conversar de maneira aberta e franca.

      Amizades bem escolhidas e principalmente quando não há segundas intenções ou outros interesses no meio, podem ser excelentes maneiras de iniciar uma autoterapia.

      Vamos ao segundo ponto: o que você chama de sua feiura.

      Ninguém pode ser chamado de feio! O mundo é composto de pessoas diferentes e a beleza ou a feiúra estão sempre relacionadas a algum tipo de comparação com algum padrão pré-estabelecido.

      Veja a conveniente padronização da pessoa bela com as características do povo europeu: louros de olhos azuis!

      Agora vamos aos fatos e analisemos a realidade. Quantas pessoas africanas, orientais, aborígenes, indígenas e, inclusive europeias, apresentam uma forma de rosto e corpo indiscutivelmente lindas???!!!

      E ainda temos mais um detalhe! Em minhas palestras e conferências tenho insistido para que todos sempre deem um segundo olhar para todas as pessoas. Na primeira olhada você está obrigatoriamente “amarrado” aos padrões estabelecidos pela mídia. No seu segundo olhar você começa a se livrar desses padrões e começa a se permitir enxergar outras belezas interiores ali existentes.

      Então comece a fazer isso com você mesma. Olhe-se com um segundo olhar, ou até terceiro. Isso vai lhe levar a reconhecer valores e virtudes que poderiam estar sendo escondidas por você, de você mesma!!!!

      Observe-se! Aprecie-se! Ame-se!

  17. Bruna Alves said,

    10 de agosto de 2011 às 13:32

    Obrigadaaa!!! o senhor me ajudou mto,e vou procurar me identificar mais com alguns amigos meus…mas de qualquer forma qdo falar com eles,vou me privar pq nao consigo confiaar mais naas pessoas,nao consigo acreditar mais na felicidade,nao consigo ter esperanças para mim mesma….acho que minha vida se enceerra aki e que a melhor forma seria que eu nao existisse mais nessa terra,ta mt dificil sobreviver aos meus medos e ás minhas “neuroses”…mas de qualquer modo mto obrigadaa por ter me ajudado!! beijo!

  18. Bruna Alves said,

    21 de agosto de 2011 às 15:40

    SENHOOR O SENHOR ESTÁ BEM?? JÁ FAZ ALGUM TEMPO QUE CONVERSAMOS E O SENHOR NAO ME DEU MAIS NOTICIAS…SO HAVIA DITO DE UM PROBLEMA DE SAUDE…TA TUDO BEM?? BEIJO!!!!

  19. 21 de agosto de 2011 às 17:25

    Oi Bruna! Sim! Estrá tudo bem e agradeço muito a sua preocupação. Eu estive com um problema de saúde sim, mas já consegui superá-lo e continuo “a todo vapor” no trabalho, já que há muita estrada pela frente! Desejo-lhe muito sucesso e felicidade.

  20. Bruna Alves said,

    22 de agosto de 2011 às 15:13

    que bom fiko mais tranquila..rsrs’ obrigadaa! ^^

  21. Bruna Alves said,

    5 de novembro de 2011 às 15:31

    VOLTO AQUI NOVAMENTE PORQUE NAO TENHO ONDE ME REFUGIAR…ESTOU PODRE POR DENTRO A PONTO DE ME SENTIR UM LIXOO….Em minha vida nada tá bom .. estou a ponto de pedir a morte p ver se esta tristeza vá embora de vez…dentro de mim algo me corroe a cada dia mais me sinto a menina estranha, aquela que nao vive a vida que quer akela que nao conhece a felicidade….. ESTÁ TUDO HORR ÍVEL..ME AJUDA!??? PRECISO DE ALGUEM…espero que o senhor possa me ajudar…obrigada!

  22. Alexandra Faria said,

    13 de dezembro de 2011 às 10:53

    Olá! Meu nome é Alexandra, tenho 20 anos e preciso muito de sua ajuda.
    Ao decorrer da minha vida passei a minha infância e adolescência sem a figura paterna, o que me levou a me apegar bastante aos reacionamentos amorosos que tive.
    E atualmente, namorando um rapaz muito bom, que me ajuda muito, me deparei com um conflito dentro de mim, me senti abandonada e rejeitada quando ele falou que não podería me ver no dia em que namoraríamos por um compromisso profissional. Essa notícia veio como uma bomba dentro de mim, chorei muito, me senti abandonada, rejeitada,sozinha, como se só ele, essa figura masculina me preenchesse.
    É uma dor imensa que sinto a cada vez que surge um imprevisto e que não posso vê-lo, pois quando estou com ele a gente conversa muito e tenho a oportunidade de contar toda a minha trajetória de vida, o que fiz, como era, o que desejo fazer. E quando surge esse conflito, essa dor que parece inacabada dentro de mim, me sinto triste, se ânimo, e muita muita vontade de chorar, é um aperto que dá no meu coração, eu sinto uma dor, uma ardência, tudo isso parece passar, quando meu companheiro me abraça, somente isso, ele não precisa dizer nada, só um abraço tira essa dor que sinto, esse sentimento que me frustra.
    Sou evangélica, tenho fé no meu Deus e não tenho condições de pagar um psicanalista ou algo semelhante, será que tería alguma reflexão que eu podería fazer pra tentar amenizar essa dor? Isso é resultado da infância?
    Espero obter ajuda, preciso muito. Ah! E outra coisa que esqueci, sou professora, e está no meio das crianças me faz bem, mas quando as vejo com seus pais,mais uma vez me frustro, me dá vontade de chorar e eu também tenho hábito de escrever muito, de me expressar datalhosamente, isso pode ser algum reflexo de alguma necessidade?
    Aguardo resposta!
    Um abraço!
    ALEXANDRA FARIA

  23. Ângela Maria Guimarães setegati said,

    23 de fevereiro de 2013 às 15:47

    Afereseado angustia e pânico e ansiedade já vem do próprio ventre da mãe só que a sociedade dizem que e loucura mas não e e falta de amor e amizades verdadeiras porque ninguém quer conviver com pessoas assim sao totalmente discriminadas.

  24. Joana said,

    13 de dezembro de 2013 às 18:35

    Ola! eu sei que sou depresiva! …. e sei que preciso de ajuda! edentifico-me, sem a vontade de viver, mas por vezes tenho vontade de mudar, e quero ser feliz! Tenho muita vontade de chorar, sinto-me sozinha, tento aproximar-me de pessoas mas nao consigo falar, e por vezes rir! sinto-me perdida! Cheia de força, e sem nelhuma!

  25. Roberto Andersen said,

    14 de dezembro de 2013 às 09:45

    Joana,

    Você deve trocar imediatamente o verbo SER pelo verbo ESTAR!

    Sorte que estamos no Brasil e não na Inglaterra, onde SER ou ESTAR é a mesma coisa!

    Você, então, está depressiva! É diferente de SER depressiva! E agora vamos entender que essa sensação de depressão em você pode estar sendo consequência de algum mau funcionamento orgânico, provocado por uma rotina inadequada ou alimentação não saudável.

    Peço-lhe que reveja sua rotina, de preferência escrevendo para analisar com calma tudo o que você faz o dia todo.

    Mude o que puder mudar. Retire o que puder retirar, para sobrar mais tempo. Programe suas tarefas de forma organizada, para não estressar. E, ao final do dia faça uma reflexão sobre o que foi realizado e veja se o dia valeu!

    Quanto à alimentação tire tudo o que leva a depressão, como o açúcar branco (refinado), por exemplo.

    O ideal é consultar uma nutricionista e seguir um cardápio saudável.

    Leia sobre o “pronto socorro” da depressão, no início desse artigo, e siga as instruções.

    Aguardo notícias;

    Forte abraço.

  26. vera lucia batista said,

    31 de outubro de 2014 às 10:36

    tenho 42 anos de idade e sou totalmente depressiva desde minha pre adolecencia ocorreu alguns tipis de abusos minha infancia ja recorri ao psicoligo e nao consegui ir adiante fico culpando deus por ter deixado tantas coisas ruins acontecer comigo cresci sem saber o q ue e o amor ..mas isso nao impediu de amar meus filhos pois e tudo q ue tenho se nao fosse eles ja teria dado um jeito ..mas espero q ue eles crescam mas um pouco ..minha vida?
    nao tenho animo para nada fico meses e meses enclausurada dentro de casa …estou desesperada isso e um martirio se puder ler o que digo ja fico satisfeita

    • Roberto Andersen said,

      16 de julho de 2015 às 14:00

      Várias pessoas que estavam em situação semelhante já estão fora disso.
      Sugiro que você siga as sugestões do artigo, ignorando aquilo que chamamos de crenças disfuncionais.
      Essas crenças nos levam a acreditar que nunca sairemos desse estado e que tudo está sempre ruim para nós.
      Isso é um engano.
      Tente ler e seguir os passos recomendados.
      Você vai ver que algo vai mudar.

  27. monique peixoto da silva said,

    6 de novembro de 2014 às 09:33

    tenho tudo q preciso minha casa um otimo marido filhos saudaveis e felizes e mesmo assim nao consigo ser feliz parece q a minha vida esta uma droga vivo triste e sem animo pra nada e o q é pior nervosa muito nervosa tudo me irrita nem eu me suporto as vezes me ajude o q eu posso fazer pra sair desse estado.

    • Roberto Andersen said,

      6 de novembro de 2014 às 13:23

      Embora seja muito difícil analisar uma situação como a sua sem um acompanhamento durante algum tempo, é possível sugerir algumas coisas, com base em casos que possam ter algum tipo de semelhança.
      Nesses outros casos eu pude constatar que havia uma clara ausência de personalidade individual, já que a esposa e mãe assumiu, como sua personalidade, a do marido e dos filhos, dirigindo todos os momentos de sua vida em função deles, sem se preocupar, em momento algum, com as suas próprias vontades e desejos.
      Então marido e filhos estarão sempre felizes e saudáveis, mas a relação sua consigo mesma estará tão inexistente, que gerará angústias que podem até parecer inexplicáveis, mas que na realidade é proveniente de uma ausência total de amor próprio. O afeto está todo direcionado para eles, nada sobrando para você mesma.
      Tente fazer uma análise da sua rotina e liste o que você faz para seu próprio deleite, em seu próprio benefício, para satisfazer suas próprias vontades e desejos.
      Se essa listagem for pequena, ou quem sabe, até inexistente, está na hora certa de repensar sua rotina!
      Em muitos desses casos eu cheguei a ouvir:
      “Mas eu gosto de fazer o que eles gostam”
      “Eu gosto de assistir aos filmes que eles assistem”
      “Eu gosto de ir aos lugares que eles querem ir”
      “Eu até gosto um pouco da pizza de calabresa que meu marido adora”

      Ou seja: Em momento algum a esposa resolveu exigir que hoje a pizza é portuguesa, ou que hoje nem é pizza, mas sim feijoada!

      Reflita, analise, registre o que eu sugeri, e replaneje sua rotina e seus hábitos. Garanto que nenhum deles morrerá por causa disso.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: