Adolescência II – dúvidas e questionamentos

Hoje vamos tentar esclarecer duas das dúvidas que meus amigos, adolescentes, estão enviando:

1ª pergunta:

“Sou hiperativo e me disseram para gastar energia praticando esportes. Jogo futebol e fico mais impulsivo e inquieto ainda depois que jogo! O que está acontecendo? Já me disseram que só mesmo tomando remédio resolve. É verdade? ”

Resposta:

Fazer uso de qualquer medicamento é uma coisa muito perigosa e que deve ser bem analisado, já que todos eles têm efeitos colaterais que, algumas vezes, podem ser até piores do que o sintoma que a pessoa estava sentindo.

Então, antes de pensar em remédios, vamos às atividades físicas.

Elas todas consomem energia, isso está claro!

Mas cada uma delas produz um tipo de efeito diferente no nosso organismo.

Você está praticando exatamente a que mais provoca a agressividade e, portanto, aumenta os sintomas hiperativos!

O futebol tem mais efeito de contração muscular do que de alongamento.

Nesse caso esse efeito é detectado pelo cérebro como uma necessidade de reação, como se você estivesse sendo agredido.

Aí, então, o cérebro provoca uma espécie de sentimento de raiva, fazendo com que você fique mais inquieto, mais explosivo e mais agressivo ainda. Ou seja: aumenta os sintomas hiperativos!

Observe que os jogos de futebol são aqueles em que os jogadores são mais agressivos entre si, coisa muito difícil de acontecer na maioria dos jogos de vôlei, por exemplo, cujo efeito no organismo é exatamente o inverso.

Já nas atividades cujo efeito principal é o alongamento, como o vôlei (que falamos agora mesmo), o basquete, a natação, a corrida, o salto em altura, o salto em distância e o polo aquático, esse alongamento é sentido como satisfação, reduzindo a inquietação, a impulsividade e a agressividade.

Mas se a sua única opção de atividade é o futebol, ou essa é a única que você gosta, procure aprender e praticar um bom exercício de alongamento quando terminar.

Certamente os efeitos da impulsividade serão mais reduzidos e sua inquietação poderá melhorar, mesmo jogando futebol.

Mas, além da atividade física com caraterísticas mais de alongamento do que de contração, é importante reorganizar a sua dieta, se isso for possível, com o auxílio de um nutricionista, para manter todos os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento corporal e cerebral, mas reduzindo os alimentos que provoquem muita energia, como achocolatados, cafés e energizantes em geral.

Vamos a outra pergunta;

2ª pergunta:

Eu passo a maior parte do meu tempo jogando em meu computador ou no celular. Isso pode trazer problema para mim em que?

Resposta:

Há vantagens e desvantagens.

A vantagem dos jogos eletrônicos está no aumento da velocidade de raciocínio.

Mas isso só funciona se não extrapolarmos o limite de tempo seguro para evitar o estresse cerebral, porque ao extrapolar esse limite, toda a vantagem acaba e começa a desvantagem, que é o estresse.

Não isso não acontece só pelo fato de estarmos em um jogo eletrônico ou mergulhado em um computador ou celular não!

Isso acontece com qualquer atividade em que nos dedicamos por tempo muito longo sem intervalo para relaxar.

A emissão de frequências visuais e radiofrequências pela TV, pelo computador e pelo celular apenas intensifica muito mais um problema que ocorre com quando passamos muito tempo em um único tipo de atividade, mesmo que a gente goste muito do quer está fazendo.

Aliás, o fato de gostar ainda piora mais as coisas, porque dificilmente vamos acreditar que estamos ficando estressados devido a uma coisa que a gente goste!

O problema não está em um estresse fácil de ser percebido, porque é um estresse cerebral, que ocorre nas redes neurais que estão ativadas para o exercício daquela atividade.

Faça uma experiência, por exemplo, durante a realização de um trabalho escolar. Se o trabalho é longo e você deixou para fazer tudo de uma só vez, sem intervalo, para dar tempo, a partir de uma hora e meia seu raciocínio já estará muito mais lento do que no início e, além de poder estar errando, está alimentando um estresse que pode trazer ansiedade, angústia, irritação e muito mais.

Se, no entanto, você dá um intervalo a cada hora, usando esse intervalo para fazer algo diferente, o cérebro relaxa aquela área que estava ativa, permitindo que, ao retomar à tarefa, você estará raciocinando mais rápido e melhor.

Então o mesmo acontece se você passa mais de uma hora seguida em um jogo desses (e você comentou sobre o dia todo!).

O certo é dar intervalos regulares e, de preferência, intervalos bem longos, fazendo outra atividade qualquer que não seja no computador nem no celular.

O prejuízo desse excesso começa com estresse cerebral, mas aos poucos vai afetar a sua capacidade de aprendizagem, sua memória, e, aos poucos, pode provocar ansiedades, angústias e insatisfações “por nada”, trazendo, ou irritação e agressividade, ou o inverso, que seria apatia total, falta de vontade de fazer qualquer coisa.

Então a solução é dar intervalos e criar atividades que não precisem do celular nem do computador nem da TV.

Hoje foram essa duas. Em outro vídeo e texto responderei a outras.

Para dar continuidade a nosso assunto, mandem seus relatos, suas dúvidas e seus questionamentos para mim, pelo meu e-mail,

robertoandersen@gmail.com

ou pelo whatsapp

71 9-9624-1011.

O texto desse vídeo vai ser digitado e logo em seguida será publicado no nosso blog:

robertoandersen.blogspot.com

Um forte abraço,

Até nosso próximo encontro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: